Expulsão de membros da igreja ?

by - 16:45


Como devemos tratar uma pessoa que pecou? Com disciplina bíblica através do amor mostrando o erro, ou a disciplina da 'expulsão' para solucionar o problema? 




Ora, se teu irmão pecar contra ti, vai, e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir, ganhaste a teu irmão; Mas, se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda a palavra seja confirmada. E, se não as escutar, dize-o à igreja; e, se também não escutar a igreja, considera-o como um gentio e publicano. Em verdade vos digo que tudo o que ligardes na terra será ligado no céu, e tudo o que desligardes na terra será desligado no céu. (Mateus 18:15-18) 


Normalmente o que ocorre nas instituições religiosas do nosso país é a questão colocada em cheque. O membro errou, contrariou o seu pastor, divergiu em opinião com sua liderança, pecou de alguma forma, e por causa disto torna-se motivo de expulsão da congregação. 

A Bíblia nos fala que se alguém pecar contra nós devemos ir até ele. Significa dizer que devemos iniciar um diálogo para solucionar o problema, colocando os pingos nos is. Mostrando onde a pessoa errou, e o que ela pode fazer para se retratar e se consertar. Que fique bem claro que nosso propósito como irmão em Cristo não deve ser distancia-lo, afasta-lo, contudo  fazer com que o nosso irmão se arrependa, pedindo perdão a Deus e ao outro pelo seu erro.


Geralmente o que podemos observar que quando o irmão peca contra uma liderança e discorda surgem as famosas torcidas organizadas de membros. Uma torcida do lado do pastor, e o outro ao lado do personagem e grande pecador. Gostaria de dizer que está tudo errado! 

Vemos pessoas destruindo a reputação uma das outras no anseio das instituições, no lugar de amar e proteger, tentando deixar aquele pecado no mínimo visível ( não querendo esconder ) possível, muitos saem publicando em suas redes sociais um enorme texto a favor e contra fulano. Já saem contando pra A e o alfabeto inteiro, ao invés de amenizar a situação. Os membros precisam lembrar-se de seguir as instruções que Jesus nos deixou. Se caso meu irmão pecar contra mim, eu vou, sozinho, conversar com ele. Se ele não me escutar, eu envolvo as pessoas mais próximas da situação para tentar solucionar o problema. Se não for solucionado só nos restará orar e não deixar de amar o nosso irmão. 

Quanto a exposição de acontecimentos como este nos levar a pensar: a pessoa está tendo todas as boas intenções do mundo, porém não conhece a bíblia, ou ela estar deliberadamente querendo humilhar a outra pessoa publicamente, sendo assim criando uma imagem daquela pessoa para as outras. É pertinente a reflexão! 

Excluímos as pessoas no primeiro erro? Não, perdoamos 70×7. Gostaria de ressaltar que banco, distância ou expulsão de um membro não gera, e não gerará arrependimento. O que gera arrependimento é o amor em querer ajudar, em querer solucionar o problema coma a pessoa, sem causar nenhum outro problema a mais, orando por ele e com ele.  


Uma outra pergunta sobre a exposição: O pecado foi público, porque foi visto por dezenas de pessoas, ou tornou-se público porque as pessoas queriam que torna-se ? Também é pertinente a reflexão! 

Agindo de certos modos os membros ao invés de ajudar atrapalham. Alguns chegam a declarar, colocando-se no lugar do Juiz: Ela(e) nunca foi cristã(o). A Bíblia nos diz que muitos reparam no cisco que está no olho do seu irmão, porém não se dão conta da viga que está em seu próprio olho 
(Mateus 7:3) 

" Não adianta querermos o arrependimento em nossas vidas se não dermos escape para ele. " - Vinicius Lopes

Você que já sofreu, ou está passando por uma situação deste nipe que algum líder te expulsou de uma geração, ou até mesmo da congregação te aconselho você a solucionar o problema com seu irmão, na presença do seu pastor. Não será preciso você sair com uma cartaz escrito 'Sou CRENTE, e me ARREPENDO'. A bíblia nos diz sobre o fruto que são gerados pela semeadura de cada pessoa, você mostrará a comunidade os seus frutos, se realmente você estiver lutando para viver uma vida segundo o cristianismo, o fruto do arrependimento aparecerá. Porém você precisará ter um diálogo para colocar os pingos nos is. 

Em ambas as partes, todos devem pedir perdão por algo dito ou não dito. Seja um membro com cargo eclesiástico ou não, pois todos erram. Sobre a decisão de expulsar alguém, deveria ser revista. A Bíblia nos diz; Irmãos, se algum dentre vós se tem desviado da verdade, e alguém o converter, saiba que aquele que fizer converter do erro do seu caminho um pecador, salvará da morte uma alma, e cobrirá uma multidão de pecados. (Tiago 5:19,20) 

Ao invés de expulsar porque não darmos a opção de escolha, que é responsabilidade de cada pessoa, se ela gostaria de continuar sendo membro da igreja, na mesma liderança ou talvez em outra, ou para não agravar ainda mais a situação e trazer um transtorno maior para a comunidade e sua vida que ela escolhesse se transferir para outra congregação. E independente de sua escolha, perdoando ao outro. 

Para finalizar, em minha opinião, não concordo com a expulsão de um membro. Jesus em suas passagens nunca expulsou ninguém de sua presença, sempre deu a liberdade para quem quisesse continuar com ele, quem não quisesse estava livre para ir  embora. Esta é a reflexão que vos deixo; 

Muitos, pois, dos seus discípulos, ouvindo isto, disseram: Duro é este discurso; quem o pode ouvir? Sabendo, pois, Jesus em si mesmo que os seus discípulos murmuravam disto, disse-lhes: Isto escandaliza-vos? Desde então muitos dos seus discípulos tornaram para trás, e já não andavam com ele. Então disse Jesus aos doze: Quereis vós também retirar-vos? (João 6:60,61,66,67) 


Fonte: Irmão Baiano

You May Also Like

0 comentários