In Estudo

Deus nos adotou e agora somos filhos


“Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome.” João 1:12



Falaremos sobre paternidade e filiação. Segundo o dicionário paternidade significa “Condição de Pai, seja biológico ou adotivo.” e filiação “Ligação de um ser com outro a partir do reconhecimento da paternidade.”

Em Gênesis, livro da criação, 1:1 nos diz que “No princípio Deus criou os céus e a terra.” e mais afundo encontramos “Disse Deus: Façamos o homem a nossa imagem e semelhança.” Gênesis 1:26. De todas as criaturas somente o homem foi marcado com características particulares e toques de Deus. Deus soprou o seu próprio fôlego em nós, que se refere também a semelhança mental, moral e social. (Gênesis 2:7)

Mentalmente: Fomos criados com a capacidade de raciocínio e criação. Isto é um reflexo do intelecto e poder de Deus. “O nosso Deus está nos céus, e pode fazer tudo o que lhe AGRADA”. (Salmos 115:3)

Moralmente: O homem foi criado em justiça e perfeita inocência, que é um reflexo da santidade de Deus. “Deus fez o homem RETO” (Eclesiates 7: 29) e “Sede santos, porque eu, vosso Deus, sou santo.” (1 Pedro 1:16).

Socialmente: O homem foi criado com a capacidade de relacionar-se com tudo ao seu redor. Isto reflete a natureza da trindade, a comunhão perfeita entre Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito. “Façamos o homem a nossa imagem e semelhança.” (Gênesis 1:26)

Além destas características carregamos alguns outros atributos compartilhados por Deus, como o amor, bondade, misericórdia, sabedoria, justiça, paz e santidade.

Vivíamos de forma plena no jardim, na totalidade da imagem e semelhança de Deus. Eramos vistos e chamados de filhos por Deus. Ao pecarmos boa parte das características e atributos foram danificados, contudo continuamos carregando as impressões do nosso Pai.

Após o pecado passamos a sermos conhecidos como criatura, perdermos o registro de filhos. Quando nos tornamos criatura, ficamos órfãos. Porém, Deus sentindo prazer em nos chamar de filhos, em carregarmos a sua imagem e semelhança na totalidade da medida que nos foi dada, iria nos dar a oportunidade de termos a identidade do jardim. “E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo a sua vontade.” (Efésios 1:5)

Ao passo de reconhecermos e aceitarmos Jesus somos adotados, e novamente nos tornamos parte da família de Deus  “Vejam como é grande o amor que o Pai nos concedeu: sermos chamados filhos de Deus, o que de fato somos!” (1 João 3:1). A partir de agora prosseguimos em transformação através do Espírito Santo, e a imagem e semelhança do Pai passa a ser moldada e recebemos o selo de filho. “Recebestes o Espírito que os adota como filhos, por intermédio do qual podemos clamar: “Abba, Pai!”. O Próprio Espírito testemunha ao nosso espírito que somos filhos de Deus. Se somos filhos, então, também somos herdeiros; herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo, se realmente participamos dos seus sofrimentos para que, da mesma maneira, participemos da sua glória. O sofrimento e a glória futura.” (Romanos 8:15-17)

Jesus veio com a missão de nos salvar, restabelecer a comunhão, nos tornar filhos e nos ensinar a como sermos filhos. Jesus é o modelo perfeito de filho para seguirmos, pois, “Quem me vê a mim vê o Pai.” (João 14:9). Devemos também refletir o Pai, pois “Aquele que tem os meus mandamentos e obedece a eles, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado por meu Pai, e Eu também o amarei e me revelarei a ele.” (João 14:21)


Entendemos então que somos amados deste a eternidade, descrito em Salmos 139. Deus sonhou em nos criar com suas impressões, com identidade de filho, nos chamando de filhos.“Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que havemos de ser, mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, pois o veremos como ele é.”(1 João 3:2). 

Fonte: Irmão Baiano

Related Articles

HTM Facebook :